SupportLife

(53)3045-0897

Atendimento Comercial

contato@supportlife.com.br

Contato Comercial

Curso de Socorrista Resgatista

Portaria 2.048 Normas CTILSB INTERNACIONAL

Validade: 2 anos

Turmas Abertas

Nenhuma turma prevista. Contate-nos e registre seu interesse.

Com a filosofia de salvar vidas, temos o firme propósito de conscientizar leigos e aperfeiçoar profissionais da área de saúde da importância do aprendizado, do treinamento e uso adequado de cada equipamento com base em protocolos atuais de referência internacional. Nosso curso de Socorrista Resgatista, é enriquecido com aulas teóricas e simulações práticas bem próximas da realidade, visamos formar socorristas Resgatistas para atuarem em unidades de emergência e serviços especializados.

CAPÍTULO 1 – APH (ATENDIMENTO PRÉ-HOSPITALAR)

HISTÓRIA
DEFINIÇÕES CONFORME PORTARIA
SUS (SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE)
SEVIÇO DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA NO BRAIL
CONCEITOS
ATENDIMENTO PRÉ-HOSPITALAR
QUADRO DE COLABORADORES
TRAUMA NO BRASIL
ASPECTOS ÉTICOS MÉDICOS E LEGAIS
HUMANIZAÇÃO NO ATENDIMENTO PRÉ-HOSPITALAR
COMPOSIÇÃO DAS EQUIPES
ACESSO A CADA CENTRAL E FLUXO PARA O ATENDIMENTO
DEFINIÇÃO DE FLUXO
CLASSIFICAÇÃO DAS URGÊNCIAS EM NÍVEIS
REGULAÇÃO

CAPÍTULO 2 – UNIDADES MÓVEIS (TIPOS DE AMBULÂNCIAS)
DEFINIÇÃO
TIPO A
TIPO B
TIPO C
TIPO D
TIPO E
TIPO F
TIPO VIR / VIM

CAPÍTULO 3 – BIOSSEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL

OBJETIVOS
CONCEITOS
PROCESSAMENTO DE ARTIGOS
LIMPEZA DA AMBULÂNCIA
PRECAUÇÕES COM SECREÇÕES
HEPATITE
HEPATITE A
HEPATITE B
HEPATITE C
AIDS
IMUNIZAÇÕES

CAPÍTULO 4 – MATERIAIS E EQUIPAMENTO DO APH
DEFINIÇÃO
EPI’s
EQUIPAMENTOS PARA VIA AÉREA, VENTILAÇÃO E OXIGENAÇÃO
EQUIPAMENTOS PARA DIAGNÓSTICOS
MATERIAIS PARA TRATAMENTO DE FERIMENTOS
MATERIAIS DE IMOBILIZAÇÃO

MÓDULO 2
CAPÍTULO 5 – A CINEMÁTICA DO TRAUMA
DEFINIÇÃO
EFEITO CAVITAÇÃO
FASES DO EVENTO
AVALIANDO A CENA
TIPOS DE COLISÕES
DISPOSITIVOS DE CONTENÇÃO

CAPÍTULO 6 – RÁDIO COMUNICAÇÃO

DEFINIÇÃO
ALFABETO FONÉTICO UNIVERSAL
CODIGO “Q”

CAPITULO 7 – ABORDAGEM E AVALIAÇÕES
OBJETIVO
INTRODUÇÃO
CONTROLE DA CENA
SEGURANÇA DA CENA
MECANISMO DA LESÃO
AVALIAÇÃO PRIMÁRIA
INICIO
RETIRADA DE CAPACETE
X A B C D E
SISTEMA NERVOSO
SISTEMA RESPIRATÓRIO
SISTEMA CIRCULATÓRIO
ESCALA DE GLASGOW
AVALIAÇÃO SECUNDÁRIA
VER, OUVIR E SENTIR.
SINAIS VITAIS
ESCALA DE TRAUMA

CAPÍTULO 8 – CONTROLE DE VIAS AÉREAS
OBJETIVO
CONSTITUIÇÃO DAS VIAS AÉREAS
FIFIOPATOLOGIA
AVALIAÇÃO DA VIA AÉREA E VENTILAÇÃOTRATAMENTOSEQUIPAMENTOS

CAPÍTULO 9 – OBSTRUÇÃO DE VIAS AÉREAS POR CORPO ESTRANHO (OVACE) 100 À 103
CAUSAS
DEFINIÇÕES
RECONHECIMENTO
MANOBRAS DE HEIMLICH

CAPÍTULO 10 – CHOQUE
DEFINIÇÃO
PROGRESSÕES DO CHOQUE
OBJETIVOS
PERFUSÃO
ISQUEMIA
TIPOS DE CHOQUE
TRATAMENTOS

CAPÍTULO 11 – LESÕES ESPECÍFICAS
SISTEMA TEGUMENTAR
TIPOS DE FERMENTOS
TRATAMENTO
MÉTODOS E DISPOSITIVOS

MÓDULO 4
CAPÍTULO 12 – TRAUMA DA CABEÇA

TRAUMATISMO CRANIOENCEFÁLICO (TCE)
AVALIAÇÃO
AVDI
TIPOS ESPECÍFICOS
LESÕES CEREBRAIS TRAUMÁTICAS (LCT)
AVALIAÇÃO DE EMERGÊNCIA
TABELA DE RISCOS RELATIVOS
TRATAMENTO DE EMERGÊNCIA
AVALIAÇÃO SECUNDÁRIA
CAPÍTULO 13 – TRAUMA DE FACE

INTRODUÇÃO
TRAUMAS POR FAIXAS ETÁRIAS
CONCLUSÃO
TRAUMATISMO OCULAR
TRAUMA NO OUVIDO
TRAUMA NO NARIZ
TRAUMA NA BOCA
DIAGNÓSTICOS
ATENDIMENTOS DE EMERGÊNCIA

CAPÍTULO 14 – TRAUMA NA COLUNA VERTEBRAL
CONCEITO
TRAUMA VERTEBRO MEDULAR (TVM)
IMOBILIZAÇÕES
CIRURGIAS
AVALIAÇÕES
PRINCIPAIS SINAIS CLÍNICOS
TRATAMENTOS

CAPÍTULO 15 – TRAUMA TORÁCICO 147 À 159

INTRODUÇÃO
CLASSIFICAÇÃO
MECANISMOS DE LESÃO
TIPOS
AVALIAÇÕES
DIAGNÓTICOS
TRATAMENTOS

CAPÍTULO 16 – TRAUMA ABDOMINAL

INTRODUÇÃO
SISTEMA LINFÁTICO
SISTEMA DIGESTIVO
SISTEMA ENDÓCRINO
SISTEMA IMUNOLÓGICO
SISTEMA REPRODUTOR
SISTEMA EXCRETOR
CLASSIFICAÇÕES
TIPOS
SINAIS E SINTOMAS
TRATAMENTOS

MÓDULO 5
CAPÍTULO 17 – TRAUMA MUSCULOESQUELÉTICO

INTRODUÇÃO
PRIORIDADES
CLASSIFICAÇÕES
CINEMÁTICA
MECANISMOS DE TRAUMA
AVALIAÇÕES
ATENÇÃO ESPECIAL
LESÕES ASSOCIADAS
LESÕES ESPCÍFICAS
SINAIS E SINTOMAS
SINDROMES

CAPÍTULO18 – IMOBILIZAÇÕES, CONTENÇÕES E TRANSPORTE

INTRODUÇÃO
REGRAS GERAIS
IMOBILIZAÇÃO COM COLAR CERVICAL
MANOBRAS PARA PRANCHAMENTO
TRANSPORTE
CUIDADOS IMPORTANTES
PRINCIPAIS CONTENÇÕES
IMOBILIZAÇÕES
TALA DE TRAÇÃO (TRACIONADOR DE FÊMUR)

CAPÍTULO 19 – LESÕES POR QUEIMADURAS

CONCEITO
CAUSAS
PROFUNDIDADE
CLASSIFICAÇÃO
EXTENSÃO E LOCALIZAÇÃO
GRAVIDADE
ATENDIMENTO
PASSO “A”
SINAIS DE ALERTA
PASSO “B”
INALAÇÃO
INTOXICAÇÃO

CAPÍTULO 20 – CHOQUE ELÉTRICO

INTRODUÇÃO
FORMAS DE OCORRÊNCIA
LESÕES
MANIFESTAÇÕES
ATENDIMENTO
PREVENÇÃO CONTA ACIDENTE

CAPÍTULO 21 – TRAUMA PEDIÁTRICO

INTRODUÇÃO
DIFERENÇAS ENTRE CRIANÇA E ADULTO
TRAUMAS ESPECÍFICOS
TRATAMENTOS

CAPÍTULO 22 – TRAUMA GERIÁTRICO

OBJETIVOS
TRAUMAS
FATORES
FISIOLOGIA
PREVENÇÃO
X A B C D E PARA IDOSOS
CONCLUSÃO
COMUNICAÇÕES
CAUSA PRINCIPAIS DE MORTE
MUDANÇAS FISIOLÓGICAS
RECLAMAÇÕES COMUNS
AVALIAÇÃO NO TRAUMA
LESÕES
EMERGÊNCIAS
TRATAMENTOS
AVALIAÇÃO DO ABUSO EM IDOSO
FATORES DE RISCO

CAPÍTULO 23 – EMERGÊNCIA OBSTÉTRICA

INTRODUÇÃO
DEFINIÇÃO
ESTRUTURAS PRÓPRIAS DA GRAVIDEZ
CUIDADOS DE EMERGÊNCIA
PERIODO DE EXPULSÃO
LIMPEZA DE VIAS AÉREAS
DEQUITAÇÃO PLACENTÁRIA
PASSOS FINAL NO PARTO DE EMERGÊNCIA
PARTOS COM DIFICULDADES
CONDUTAS
TRAUMA NA GESTAÇÃO
INTRODUÇÃO
ALTERAÇÕES
DIAGNÓSTICO E CONDUTA
AVALIAÇÃO E TRATAMENTO
SITUAÇÃO DE ÚTERO E FETO

MÓDULO 6
CAPÍTULO 24 – EMERGÊNCIAS CLÍNICAS

INTRODUÇÃO
EMERGÊNCIAS CARDIOVASCULARES
EMERGÊNCIAS RESPIRATÓRIAS
EMERGÊNCIAS NEUROLÓGICAS
TRATAMENTOS
FALSAS CRISES
CONDUTAS

CAPÍTULO 25– EMERGÊNCIA PSIQUIÁTRICA

INTRODUÇÃO
SITUAÇÕES MAIS FREQUENTES
FASES DA CRISE
PRINCIPIOS GERAIS DE MANEJO
SINAIS DE ALTO RISO DE SUICÍDIO

CAPÍTULO 26 – INTOXICAÇÕES EXÓGENAS, ENVENENAMENTOS E ACIDENTES COM ANIMAIS PEÇONHENTOS

INTOXICAÇÕES EXÓGENAS
ABORDAGEM E PRIMEIRO ATENDIMENTO
SINAIS E SINTOMAS
TRATAMENTOS
ACIDENTE COM ANIMAIS PEÇONHENTOS
TIPOS
SINAIS E SINTOMAS
TRATAMENTOS

CAPÍTULO 27 – REANIMAÇÃO CARDIOPULMONAR (RCP)

INTRODUÇÃO
CADEIAS DE SOBREVIVÊNCIA
RCP – REANIMAÇÃO CARDIOPULMONAR
RECONHECIMENTO
SINAIS DE VIDA
POSIÇÕES DE MONOBRA
CICLOS DE RCP
DEA – DESFIBRILADOR EXTERNO AUTOMÁTICO

MÓDULO 7
CAPÍTULO 28 – AMUVI (ACIDENTE COM MÚLTIPLAS VÍTIMAS)

INTRODUÇÃO
ATENDIMENTO
TRIAGEM
CARTÃO START
ESTRUTURA ORGANIZACIONAL

CAPÍTULO 29 – PRODUTOS PERIGOSOS

CONCEITO
INTRODUÇÃO
CONTROLE DA CENA
IDENTIFICAÇÃO
CLASSES
TIPOS DE LESÕES OCACIONADAS POR PRODUTOS PERIGOSOS
ATENDIMENTO
LOCALIZAÇÃO DE INFORMAÇÕES
ISOLAMENTOS
EPI’s
CONTENÇÃO E CONTROLE


DESCONATAMINAÇÃO
ATENDIMENTO AS VÍTIMAS
“O ACIDENTE COM CÉSIO-137 EM GOIÂNIA”

SICOE – SISTEMA INTEGRADO EM OPERAÇÕES DE MERGÊNCIA
CAPÍTULO 30 – COMBATE À INCÊNDIO

FOGO
CONCEITO
ELEMENTOS QUE COMPOEM O FOGO
PRINCIPAIS FONTES DE CALOR
TETRAEDRO DO FOGO
FASES DE DESENVOLVIMENTO
FENÔMENOS SECUNDÁRIOS
PONTOS DA COMBUSTÃO
COMBUSTÍVEIS
GASES E SEUS RISCOS DE INCÊNDIO
CLASSIFICAÇÃO DOS INCENDIOS
PROPORÇÕES
CLASSES DE INCÊNDIO E EXTINTORES
MÉTODOS DE EXTINÇÃO
IRRADIAÇÃO POR CALOR
EFEITOS QUÍMICOS DO CALOR
EFEITOS FISIOLÓGICOS DO CALOR
MÉTODOS DE TRANSMISSÃO DE CALOR

IPOS DE EXTINTORES
CAPÍTULO 31 – RESGATE VERTICAL EM ÁREAS REMOTAS

INTRODUÇÃO
SALVAMENTO
PRINCIPIOS DA SEGURANÇA
CLASSIFICAÇÃO DE SEGURANÇA
FASES TÁTICAS DE UM SALVAMENTO EM ALTURA
MATERIAL COLETIVO DE SALAVAMENTO EM ALTURA
ANCORAGEM
RESGATE
PRINCIPAIS NÓS E AMARRAS
EQUIPAMENTOS DE EVACUAÇÃO DE VÍTIMAS
RESGATE SIMPLES
TÉCNICAS DE DESCENSÃO (RAPEL) E ASCENSÃO
TÉCNICAS DE AUTO RESGATE
TÉCNICAS DE INÇAMENTO
CAPÍTULO 32 – RESGATE VEICULAR

PRINCÍPIOS
CONCEITOS
PRINCÍPIOS DE ATUAÇÃO
SISTEMAS
CICLO OPERACIONAL
EQUIPE DE RESGATE
ROTINA DE RESGATE
ABORDAGEM SISTEMATIZADA NO SALVAMENTO DE VÍTIMAS ENCARCERADAS
TÉCNICAS DE EXTRAÇÕES APLICADAS NO RESGATE VEICULAR
DINÂMICA
LEI DA INÉRCIA
LEI DA CONSERVAÇÃO DA ENERGIA
LEI DA AÇÃO E REAÇÃO
TROCA DE ENERGIA
GERENCIAMENTO DE RISCOS
ANÁLISE DE RISCOS POTÊNCIAIS
ORGANIZAÇÃO DO RESGATE
CAPÍTULO 33 – SALVAMENTO AQUÁTICO

INTRODUÇÃO
DEFINIÇÃO
MECANISMOS DA LESÃO NO AFOGAMENTO
TIPOS DE ACIDENTE NA ÁGUA
CLASSIFICAÇÃO
CAUSAS
GRAVIDADE (GRAUS)
RESGATE
CADEIA DE SOBREVIVENCIA NO AFOGAMENTO
PREVENÇÃO
CORRENTE DE RETORNO
RECONHECIMENTO DE UM AFOGAMENTO E ALARME
SINAIS DE AFOGAMENTO
ALARME
BLS NAS ÁGUAS – SOCORRO
TRAUMA VERTEBRO MEDULAR EM AMBIENTE AQUOSO
PROCEDIMENTOS NA AREIA OU PISCINA
OBSERVAÇÕES IMPORTANTES


SUPORTE AVANÇADO
COMPLICAÇÕES NO ATENDIMENTO
CONDUTA APÓS RESGATE
SINAIS DA AREIA PARA A ÁGUA
CAPÍTULO 34 – RESGATE EM ÁREAS REMOTAS


DEFINIÇÃO
INTRODUÇÃO
PADRÕES DE LESÕES
ATENDIMENTO
UTILIZAÇÃO PRANCHA LONGA
NECESSIDADE DE LÍQUIDOS E ALIMENTOS
TRATAMENTO DE FERIMENTOS
RCP EM LOCAIS REMOTOS

CAPÍTULO 35 – RESGATE AEROMÉDICO

OBJETIVO
HISTÓRIA
TIPOS DE OPERAÇÕES
EQUIPAMENTOS E AERONAVES
EQUIPE DE TRANSPORTE AEROMÉDICO
TÉCNICAS DE BALIZAMENTO DE HELICÓPTERO

 

CURSO ABERTO AO PUBLICO NÃO SENDO NECESSÁRIO TER EXPERIENCIA NA área, também para profissionais da áreas de RESGATE E SALVAMENTO e urgência e emergência como: ENFERMEIROS, TÉCNICOS EM ENFERMAGEM, MÉDICOS, BOMBEIROS PROFISSIONAIS CIVIS entre outros.

340 horas (102 horas teóricas e 238 horas práticas).